27 de jan de 2013

MOVIMENTO 269 LIFE


O movimento 269 life começou em Israel, quando três ativistas visitaram uma fazenda de laticínios e viram um bezerrinho com a marcação de número 269 presa em sua orelha.
O bezerro foi abatido com apenas 6 meses de vida.
Ele se tornou o ícone de um grande movimento mundial anti abate de animais iniciado em  2 de outubro de 2012, quando diversos ativistas dos direitos dos animais realizaram um ato de solidariedade e empatia para com os animais torturados e explorados pela raça humana.

Os ativistas foram marcados com o número 269 a ferro quente, da mesma maneira que muitos animais da fazenda são marcados nesses infelizes campos de concentração.
O objetivo da exposição é despertar a empatia para com os seres mais oprimidos da nossa sociedade.

"Este bezerro anônimo será para sempre imortalizado em nossos corpos, e espero que esta mensagem de solidariedade, de alguma forma, traga uma nova maneira de olhar para animais não-humanos.
Nenhum animal deve ser explorado para satisfazer as necessidades e desejos egoístas de seres humanos, e é por isso que optamos por utilizar o método da própria indústria como este meio simbólico para transmitir a nossa idéia ", afirma um dos ativistas.

Os ATOS 269 já se tornaram internacionais, e diversos ativistas estão abraçando o movimento tatuando o número 269 em seus corpos.

Anualmente, mais de 150 bilhões de animais são assassinados em todo o mundo devido ao egoísmo , ignorância e ganância das pessoas.

Esta loucura tem que acabar, mas só irá ter fim no dia em que a humanidade finalmente despertar e entender que os animais sentem dor e desejam viver em liberdade tanto quanto nós, humanos.


ASSISTA :

5 comentários:

  1. Eu realmente eu admiro esses ativistas e o fato disso ter se tornado um movimento mundial mas considero meio extremista queimar a própria pele para dar visibilidade ao sofrimento animal.Sim eu sei que chocar as pessoas funciona mas a outras formas de fazer isso.Claro que o corpo é deles e eles tem o direito de protestar como querem já que não estão prejudicando ninguém.Mas não consigo apoiar essa auto-mutilação.Mesmo que tenha dado resultados positivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez eu faria a mesma coisa pela natureza respeitosa, preservativa e sustentável se eu tivesse a coragem desses caras. Sei exatamente como eles se sentem por quê sinto isso também. A atitude se torna natural quando nos colocamos no lugar das pessoas não humanas com esse ato empático nos sensibilizando cada vez que centenas de milhares de milhões de animais tem as vidas roubadas.

      Excluir
  2. Extremista são os que exploram, marcam e matam. Quem luta contra essa babárie são Anjos! SOMOS TODOS 269

    ResponderExcluir
  3. O meu amor pelos animais está a tornar-me vegane. O meu coração fica amargurado quando penso na aflição deles, porque sabem que lhes vão fazer mal, tirar a vida.
    SOMOS TODOS 269

    ResponderExcluir