30 de set de 2012

Ativista do PETA protesta contra o consumo de carne na Índia.

Ativista do PETA protesta contra o consumo de carne na Índia.

No dia 21 de setembro, Dia Internacional da Paz, uma ativista do PETA, ONG que luta pelos direitos dos animais, fez um protesto em Bangalore, na Índia.

Representando os animais que são mortos para o consumo humano, ela ficou deitada em um prato gigante com um cartaz que dizia " A Paz começa no seu prato. Seja Vegano!"

MOQUECA DE BANANA-DA-TERRA ( VEGANA )

                               Foto: Codo Meletti

Moqueca de Banana-da-Terra ( Vegana )

Ingredientes
 3 cebolas em rodelas
1 pimentão vermelho em rodelas
1 pimentão amarelo em rodelas
2 pimentas-dedo-de-moça
1 lata de tomate  italiano pelado
1 kg de banana-da-terra
2 limões 
2 dentes de alho amassados
Coentro fresco picado
Salsinha fresca picada
Manjericão gigante picado
1 vidro de leite de coco
Azeite de Oliva
Sal

 
Preparo

Corte a banana no sentido longitudinal e ao meio, 
formando pedaços de 10 cm. 
Esprema o limão, adicione alho, pimenta, sal 
e deixe marinar por uma hora. 

Refogue a cebola com os pimentões e o tomate, 
desligue o fogo e adicione as ervas. 

Em uma panela de barro, faça uma camada com
 1/3 do molho, intercale com bananas, mais molho, 
banana e molho. 

Por último, coloque o leite de coco e cozinhe por 
20 minutos em fogo baixo. 

Utilize uma tampa semiaberta para manter 
o sabor e o aroma da comida.
 Sirva com arroz branco.



Rendimento: 6 porções





Fonte: M de Mulher

28 de set de 2012

LIVRO 'DE BEM COM A NATUREZA - CUIDANDO DO SEU FILHO COM A ALIMENTAÇÃO VIVA


De bem com a natureza - Cuidando do seu filho com a alimentação viva

Autor: Conceição Trucom

Quando você senta à mesa para fazer uma refeição, o que exatamente coloca no seu prato? Quando prepara a refeição das crianças, sabe que nutrientes elas vão receber e quais estão faltando? Quando escolhe o lanche da tarde para matar a fome
dos adolescentes, sabe quais alimentos podem fornecer a energia d

e que eles precisam e ainda encantá-los?

Para responder a essas e outras questões, De bem com a natureza traz um guia para cada fase de desenvolvimento da criança, além de informações sobre qualidade nutricional, quais são os superalimentos, os alimentos vazios e como fazem mal ao desenvolvimento do organismo. Demonstrando que a saúde está na escolha de alimentos naturais, frescos e integrais, este livro dá dicas inéditas de como introduzir gradualmente na alimentação os elementos da natureza que trazem vitalidade e saúde a toda a família.
Editora Alaúde

27 de set de 2012

PATÊ DE TOFU DEFUMADO




Patê de Tofu Defumado

Se você tem tempo para cozinhar, com certeza será melhor preparar patês em casa, mas se não tem tempo, os patês veganos à base de tofu ou soja são uma boa pedida.

Marcas: Samurai, Ecobras e Rupo.

23 de set de 2012

CRIANÇAS VEGETARIANAS NÃO TORCEM O NARIZ PARA LEGUMES E VERDURAS

                      :  [ Foto Imagem Ilustrativa  ]

Você torce o nariz para jiló ou abobrinha?
Então não está no grupo da Nathalia, do Yuri, do Pedro, da Ana Luiza e da Gabriela, que são vegetarianos.

Os vegetarianos não comem nenhum tipo de carne: de boi, de frango, de porco ou de peixe. E as crianças explicam que fazem isso pelo amor aos animais. "Os bichinhos são como nossos amigos", diz Yuri Costa, 8.

Eles trocam a carne por verduras e legumes. Não gostam de tudo, mas, ao contrário de muitas crianças, pedem para as mães colocarem no prato boas porções de alface, tomate, cenoura e broto de feijão.

Pedro Schuwenck de Jesus, 7, conta que come verdura, mas não gosta de brócolis. Ele diz que já nasceu vegetariano: "Minha mãe conta que, quando eu era bebê, não queria a papinha com carne".

O garoto já convenceu colegas da escola a comer mais legumes. "Tenho um amigo que não gostava de tomate. Falei para ele que era muito bom, que tinha um monte de vitamina. Ele comeu e gostou".

Nathalia Jordão, 12, conta que um de seus pratos preferido é jiló. "Adoro o gosto amarguinho!" E também prefere uma boa porção de tofu (queijo-de-soja) a um cachorro-quente com uma grande salsicha. Ela seguiu a mãe e virou vegetariana, há mais de dois anos.

A mãe de Yuri não proíbe o garoto de comer carne, mas ele diz que não gosta nem do cheiro. Ele prefere comer milho, couve-flor e, principalmente, quiabo. "Eu como quiabo cru, até sem sal", conta.

Ana Luiza Ablas, 11, é vegetariana como os pais e adora berinjela e rúcula. Ela conta que fez a professora de piano mudar de idéia sobre comida. "Dizia para ela que comer carne não fazia bem. Um dia ela me disse que ia parar e parou. Fiquei feliz", lembra.

Gabriela Alves, 11, tinha uns sete anos quando tirou carne do cardápio. "Em casa, quem primeiro parou foi meu pai. Depois fui eu." Mas ela diz que não foi fácil: "Depois de três meses sem carne, vi que eu já era vegetariana de verdade".


Fonte: Folha de S. Paulo ( Publicado em 28.04.2008 )



17 de set de 2012

O VEGETARIANISMO PODE SALVAR O MUNDO?



Cientistas propõem que três quartos do consumo atual de carne sejam cortados para que todos tenham o que comer no futuro.

Há três semanas, pesquisadores de todo o mundo se reuniram em Estocolmo, na Suécia, para participar da Semana Mundial da Água. Ali, em meio a discussões sobre o futuro do planeta, chegaram a conclusões alarmantes: até 2050, não haverá água para todos. Com a seca, teremos crises de desnutrição e fome, que podem levar a disputas violentas pelas últimas terras férteis do mundo. Mas nem todas as previsões foram catastróficas. Os cientistas também esboçaram soluções que poderiam prevenir esse cenário e garantir a cada um sua parcela justa de água e comida.

Entre as saídas apresentadas estavam a irrigação mais eficiente, menor desperdício de água e novos sistemas de alerta e legislação. Apesar da viabilidade dessas ideias, elas não seriam suficientes sem uma última medida: a humanidade deveria tomar o caminho do vegetarianismo. Quem come um pedaço de bife no almoço e outro no jantar passaria a ter direito a meio bife por dia. Mas será que isso é realmente necessário? Será que é viável?

Quanto à necessidade de medidas rápidas, não restam dúvidas. "O acesso à água já é um problema para um bilhão de pessoas. E com o aquecimento global isso tende a piorar, já que ele vai alterar os padrões de chuva e aumentar os eventos climáticos extremos", diz Jan Lundqvist, cientista do Instituto Internacional da Água de Estocolmo e um dos pesquisadores presentes no encontro (veja a entrevista completa). Segundo o pesquisador, a quantidade de água disponível no planeta não deve mudar muito no futuro. No entanto, a população vai crescer — seremos 9 bilhões em 2050 — e os países mais pobres tendem a alcançar os padrões de consumo dos mais desenvolvidos.

Comida é água — No relatório produzido para a Semana Mundial da Água, a pesquisadora Malin Falkenmark, do Instituto Internacional da Água de Estocolmo, calculou a quantidade de comida necessária para alimentar toda a população do planeta em 2050. Ela estimou que, mantidos os padrões de dieta atuais, que registram o consumo de 3.000 calorias por dia, sendo 20% delas vindas da carne, não haverá comida para todos. Segundo seus cálculos, esse consumo diário de calorias só será viável se a quantidade de carne for reduzida para 5%.

A estimativa se apoia na idea de que grande parte dos pastos do mundo é usada para produzir comida para bois, porcos e galinhas. Ou seja, esses animais criados para abate são grandes consumidores de recursos hídricos. Segundo a Water Footprint Network, uma organização que reúne pesquisas sobre o consumo hídrico de diversos produtos, cada quilo de carne bovina precisa de 15.415 litros de água para ser produzida. Porcos e frangos gastam um pouco menos, consumindo respectivamente 6.000 e 4.300 litros por quilo. Já o alface consome 240 litros por quilo, o tomate, 214, e a batata, 290.

Uma pesquisa publicada pelo Instituto de Educação da Água, da Unesco, em 2002, mostrou que, de toda água que é usada para produzir comida, 29,6% vai para a carne, 23,8% para os cereais e 4,4% para legumes. No entanto, somente 15,3% do consumo humano de proteínas vem da carne, enquanto 19,2% vem dos legumes e 48,2% dos cereais. É por isso que, do ponto de vista do consumo de água, faria sentido abolir os churrascos.

Fonte : Veja

15 de set de 2012

WEEAC 2012 - II Dia Mundial pelo FIM da Crueldade e Exploração Animal


No dia 22 de setembro, estará acontecendo o II Dia Mundial da Weeac, em diversas cidades brasileiras, em conjunto com eventos em vários países, simultaneamente.
O que é a WEEAC e o que é o ABOLICIONISMO?
A WEEAC é, em essência uma ONG americana, fundada pela Dawn Groth, sua presidente.
Seu diferencial é fazer coligações com outros grupos e ongs mundialmente, desde que alinhadas com um mesmo propósito: o ABOLICIONISMO.
Aqui no Brasil, o Cadeia tem a alegria de representar a instituição e nossos amigos ativistas de todo o mundo.
O que é o ABOLICIONISMO?
É a certeza de que os animais são SUJEITOS de DIREITO, não sendo defensável qualquer forma de sua exploração.
TODOS os animais tem direito à vida e à dignidade, pelo tempo de sua vida natural, tanto quanto os animais humanos.
Dito de outra forma, o abolicionismo defende basicamente as seguintes posições:
- Fim da Experimentação animal e vivissecção
- Vegetarianismo/veganismo - animais não são comida + impacto ambiental
- Animais não são "diversão" - zoológicos, circos, touradas, rodeios, etc.
- Fim da exploração dos animais como "veículos de tração"
- Não ao consumo de pele animal/couro
- Tutela responsável: castração, não ao abandono, adoção, princípio básico do Não sacrifício de animais
- NÃO à BSL - breed specific legislation _ Não à discriminação de certas raças como "perigosas"
- Combate à caça e chacina de focas e baleias
- Contra caçadas, corridas de cavalo etc.
Enfim, todos os aspectos do que chamamos de Exploração Animal

"O que consideramos como inteiramente FORA da nossa perspectiva é qualquer afirmação bem-estarista que tente legitimar qualquer forma de experimentação animal, bem como o ABSURDO conceito de "abate humanitário".
Precisamos ser muito cautelosos e firmar assertivamente o caráter abolicionista dos eventos da Weeac - daí a inclusão do nome Exploração no título dos eventos brasileiros, com a permissão da Dawn.
Outros temas nacionais que pretendemos abordar:
Leishmaniose canina (DIREITO ao tratamento), Farra do Boi, Puxadas, vaquejadas, abandono e o risco de exportação dos jumentinhos do Nordeste, exportação de animais vivos para abate, matança dos botos rosa, efeitos da devastação ambiental das hidroelétricas, pecuária e plantio de soja etc

Uma observação: com a aproximação das eleições municipais no Brasil, não estaremos organizando eventos com pessoas ou organizações envolvidas nos projetos eleitorais ou políticos de qualquer candidato ou partido.

Se você deseja se juntar a nós, na defesa destas posições __ inegociáveis e bem distintas da perspectiva bem-estarista __ compareça no dia 22 de setembro nos eventos programados.
Nosso projeto é de UNIÃO em torno destes temas.
Você, indivíduo ou organização, é muito bem vindo caso queira trazer seu próprio material visual e folhetos informativos, DESDE QUE não contrariem estas premissas básicas.
Em nome da Weeac Brasil e do Cadeia.
E de TODOS os animais."

Norah


- LINK GERAL dos eventos no Brasil. Dia 22 de setembro 

http://www.facebook.com/events/354475091298693/

- Site da Weeac no Brasil

http://weeacbrasil.wix.com/br


13 de set de 2012

MORREU, LENTAMENTE, ENTRE OS PEDAÇOS DE SUA MÃE


Ele tinha apenas 8 meses e com mais alguns dias teria vindo ao mundo e conhecido sua mãe.
Mas a indústria da carne não permitiu.
Sua mãe foi pendurada por uma pata, assassinada, e seu útero foi cortado e jogado em um recipiente de resíduos.
E este pequeno, sem o calor do útero mo
rreu lentamente, entre os pedaços de sua mãe.


Como alguém pode aceitar que, um momentâneo prazer do paladar justifique essa estúpida crueldade?

Não financie uma indústria cruel e covarde que não possui nenhum respeito pela vida.

Repense seus hábitos.
Informe-se sobre o vegetarianismo e o veganismo.


 Dan Vasques

2 de set de 2012

CAMPANHA NACIONAL 'ÁGUA NEGRA NÃO!'



Participe do ato público em defesa da água, em defesa da VIDA.
Data: 02/10/2012 (Terça-Feira) / Horário: 12:30h às 14:00h
Endereço: Avenida República do Chile (Em frente ao número 65) - Centro - Rio de Janeiro
Em frente a sede da Petrobrás

"Infelizmente, estamos assistindo, passivamente, à Baía de Guanabara se transformar em uma latrina, por conta, principalmente, dos efluentes lançados sem tratamento pela Refinaria de Duque de Caxias - Reduc - Refinaria criada pela Petrobras.

Para piorar a situação, a Petrobras vem poluindo os oceanos por meio de suas plataformas.
Além dos reiterados vazamentos de óleo provocados pela Estatal, esta ainda vem lançando nos oceanos milhares de metros cúbicos de água de produção.
Mas o que é água de produção?
Quando a Petrobras extrai o petróleo, junto com ele vem uma água, chamada água de produção, também conhecida como ÁGUA NEGRA. Nesse processo, são adicionados à água de produção diversos produtos químicos, tais como BIOCIDAS, ANTI-CORROSIVOS, ANTIESPUMANTES, INIBIDORES DE PARAFINA, ETANOL, SEQUESTRANTES DE OXIGÊNIO, etc, METAIS PESADOS, ELEMENTOS RADIOATIVOS, dentre outros.
Essa água não possui qualquer serventia e vem sendo descartada, há décadas, nos oceanos, sem tratamento adequado e sem qualquer fiscalização.
A regulamentação legal atual é precária, permitindo que a PETROBRAS exerça uma autofiscalização, pagando por laboratórios por ela contratados, que realizam a análise de seu material.
Sabe-se que não há fiscalização por parte do IBAMA e da ANP.
Parece brincadeira, mas das 110 plataformas da PETROBRAS existentes no território nacional, apenas 21 delas, isto mesmo, 21, possuem estação de tratamento.
UM DADO ALARMANTE – Em 2003, a PETROBRAS informou ter jogado na Bacia de Paula Campos, dois milhões de metros cúbicos de água de produção. Se tirarmos o óleo e a graxa desses dois milhões, estima-se que a PETROBRAS tenha lançado 30 toneladas de óleos e graxas, in natura, no meio ambiente.
Agora, imaginem atualmente?
O Brasil estará preparado para o Pré-Sal?
Por conta de todos os danos irreversíveis provocados ao meio ambiente, necessário à sobrevivência digna de todas as espécies, humanas e não-humanas, viemos nos organizar e pedir a responsabilização e a punição da Petrobras.
Porque o planeta Terra é a nossa casa.
Porque somos todos merecedores de respeito e exigimos Justiça.
Participe do ato público em defesa da água, em defesa da VIDA.

Data: 02/10/2012 (Terça-Feira)
Horário: 12:30h às 14:00h
Endereço: Avenida República do Chile (Em frente ao número 65) - Centro - Rio de Janeiro
Em frente a sede da Petrobrás
Presença dos principais grupos ambientalistas e animalistas do Brasil.
Contato: aguanegranao@gmail.com.


1 de set de 2012

GOLFINHOS DE TAIJI

Clique na imagem para assistir o documentário"The Cove"

Todos os anos, no dia 1º em Setembro, começa a chacina anual dos golfinhos em Taiji, no Japão, onde anualmente mais de 20 mil golfinhos são assassinados.

Os caçadores saem com cerca de 12 barcos de pesca, eles utilizam varas de aço, e batendo-as criam uma barreira sonora que confunde o sonar dos golfinhos, os quais ficam atordoados e em pânico, então são conduzidos para a enseada, onde a maioria é morta e alguns são se
lecionados para cativeiro.


O terror se instala e famílias inteiras de golfinhos, inclusive bebês, jovens e fêmeas prenhes são brutalmente mortos, sem nenhuma piedade. É incrível, mas segundo relatos, as mães fazem de tudo para não abandonar seus filhotes, elas lutam a todo custo para defendê-los, porém logo eles são separados e testemunham a morte de seus familiares e a sua própria morte.

Nesta imagem,o animal encurralado e ferido joga-se em desespero contra as pedras da enseada - é possível ver o rastro do sangue de sua família extensa no canto inferior direito.   ( Fonte: Contato Animal )

A morte é extremamente dolorosa, os golfinhos são atacados a golpes de facas e pequenos arpões, eles não morrem instantaneamente, agonizam por até uma hora com enormes cortes pelo corpo todo, alguns são arrastados por caminhões ainda com vida para serem levados a “fabrica”, onde serão eviscerados, cortados e embalados para venda de sua carne em supermercados locais.
Cada golfinho morto para a venda de sua carne rende aos caçadores cerca de 600 dólares, e os que são selecionados para cativeiro, são vendidos a aquários no mundo todo por até 200 mil dólares. Na verdade, a força que sustenta todo esse comércio, é a indústria do entretenimento, como o Sea World, e outros que promovem shows com golfinhos e outros animais marinhos.

                   

Todo ano, mais de 20.000 golfinhos são mortos, estima-se que nos últimos 20 anos, cerca de 400.000 golfinhos foram mortos em águas japonesas. Esta prática, que os japoneses chamam de “tradição” já ocorre há 400 anos. Os caçadores alegam que a caça anual tem também o propósito de “controle de pragas”, dizem que os golfinhos comem muito peixe, fato que causa prejuízo à indústria pesqueira.

Voluntários da Sea Shepherd, os Cove Guardians, realizam a campanha "Operação Paciência Infinita", registrando e mostrando ao mundo tudo o que acontece na Enseada, a vergonha que o Japão, por anos, tentou esconder.
Nesta sexta temporada (2015), a campanha foi nomeada de "Operação Henkaku," traduzido como 'Operação Metamorphosis' ou 'Transformação', onde reflete a evolução dos esforços da Sea Shepherd para terminar de uma vez por todas com a captura e a matança de golfinhos e pequenas baleias que ocorrem no local.

Saiba mais sobre os Cove Guardians :  http://seashepherd.org.br/guardioes-da-enseada-em-taiji-no-japao/

Acesse o link abaixo para assistir a transmissão ao vivo:
http://livestream.seashepherd.org/



Ajude a salvar os Golfinhos do Taiji : http://www.takepart.com/cove/takeaction

---
O documentário The COVE ( A Enseada ), vencedor do Oscar 2010, revela ao mundo o que uma pequena cidade do Japão, durante muito tempo, tentou esconder.
Assista:

The COVE ( A Enseada ) - Legendado
 Assista :  http://youtu.be/GS5gFfyN-s0

Sinopse: "The Cove" expõe a matança dos golfinhos no Japão, onde cerca de 23 mil são mortos anualmente e muitos outros são capturados para serem enviados para parques de diversões.
Na década de 1960, Ric O'Barry capturou e treinou os 5 golfinhos que interpretaram o personagem-título da série de televisão "Flipper".
Um dia, Barry veio a perceber que estas criaturas profundamente sensíveis e extremamente inteligentes nunca deveriam ser submetidas ao cativeiro do homem novamente. Esta missão de redenção o trouxe a Taiji, uma pequena cidade do Japão que parece ser dedicada às maravilhas e mistérios dos elegantes e brincalhões golfinhos e baleias que nadam ao largo das suas costas oceânicas. Mas, em uma remota enseada (a tal "cove" que dá título ao documentário), cercada por arame farpado e placas de "afaste-se", existe uma realidade tenebrosa. É aqui, na calada da noite, que os pescadores de Taiji, impulsionados por uma multi-bilionária indústria do entretenimento com golfinhos e um mercado clandestino de sua carne, participam de uma caçada invisível.
A natureza do que eles fazem é tão fria e as conseqüências são tão perigosas para a saúde humana e para o meio ambiente, que eles não medem esforços para que o mundo não veja o que acontece ali.
Acontece que agora o mundo está vendo, nesse documentário!