29 de out de 2012

LIVRO 'GALACTOLATRIA : MAU DELEITE'


 Galactolatria: mau deleite

Autora : Sônia T. Felipe 

 

Galactolatria: mau deleite, lançado nas redes sociais (Olhar Animal, Vista-se, Anda, Instituto Nina Rosa), este livro é o primeiro trabalho de pesquisa, no Brasil, sobre as implicações - éticas, ambientais e nutricionais - da extração do leite bovino e seu consumo humano.

Nas mais de 300 páginas, com o mesmo rigor que caracteriza seus livros anteriores, a filósofa Sônia T. Felipe apresenta dados e informações às quais os galactômanos (consumidores de leite e laticínios) geralmente não têm acesso nos meios de comunicação nos quais o leite é idolatrado. Esses dados foram coletados (ao longo dos últimos dez anos) de uma vasta bibliografia (médica, técnica e filosófica) reveladora da verdadeira natureza do que hoje se ingere com o nome de leite.


Leitura indispensável a todos os vegetarianos, veganos, ambientalistas, intolerantes ao leite, diabéticos, obesos, professores, nutricionistas, terapeutas alimentares, políticos e àqueles que procuram alimentar-se de forma saudável sem descuidar das implicações ambientais e animais de suas escolhas dietéticas. Um livro que pode fazer de suas férias uma oportunidade de tomar ciência de suas escolhas alimentares. Galactolatria: mau deleite é uma experiência intelectual e moral que retira do consumidor a inocência, garantida até aqui apenas pelo desconhecimento da real natureza de uma dieta fundada sobre produtos laticínios.



FELIPE, Sônia T. Galactolatria: mau deleite. Implicações éticas, ambientais e nutricionais do consumo de leite bovino.
São José: Ecoânima - Edição da Autora, 2012, 304 p.


Onde Comprar :

Guia Vegano



28 de out de 2012

VEGAN STYLE ( Paródia de Gangnam Style )


Vegan Style (paródia de Gangnam Style)

A música "Vegan Style" ( Estilo Vegano ) é uma paródia do famoso hit sul-coreano “Gangnam Style”, criada pela israelense Henya Mania.
Com um humor sarcástico, ela expõe os mitos usados para atacar o veganismo.
Junto com alguns amigos, Henya criou o video que já possui mais de 300 mil visualizações no Youtube.
Assista a palestra sobre direitos dos animais do ativista Gary Yourofsky, citada na música aqui

Letra de Vegan Style:
Eight years ago I decided to go vegan
No more milk and eggs fish and cow and even chicken
Everyone thought that it was just a diet phase
Even my Jewish mama asked if I was going crazy
Every day since then I’m being asked whats a vegan
People talk as if they have a degree in nutrition
They say you know its not healthy that’s the reason you’re so skinny
I say check the FDA and why not read the China Study

What about plants don’t they have feelings when you cut THEM cut a SA-LAD
What about plant don’t they have feelings no they don’t! NO no they don’t NO!
PLANTS DONT HAVE FEELINGS YOU IDIOT……IOT!

THIS IS VEGAN STYLE
VEGAN STYLE
HEY VEGAN LADY
THIS IS VEGAN STYLE

Intelligence don’t matter just the fact that they can suffer
Just for the sake of taste your sending animals to slaughter
You don’t have to love them in order to not kill them
Just like you don’t kill people even thought you’d love to shoot ‘em
No its not a trend, and we don’t have guru
And baby yeah we lots of other things to do
Gary Yourofsky man, best speech you’ve ever heard
‘Bout time to realize your vision has been blurred
What about plants don’t they have feeling when you cut THEM cut a SA-LAD
What about plant don’t they have feelings no they don’t! NO no they don’t NO!
PLANTS DONT HAVE FEELING YOU IDIOT-IOT-IOT-IOT-IOT……IOT!

THIS IS VEGAN STYLE
VEGAN STYLE
HEY VEGAN LADY
THIS IS VEGAN STYLE

Now that I’m vegan ,my shit smells better
I’m more healthy, ecologic, even happier
Not killing animals makes my conscience clean
Baby check out my glowing skin

VEGAN LADY
THIS IS VEGAN STYLE

27 de out de 2012

PICOLÉ DE FRUTAS ( VEGANA )


Uma ótima opção para refrescar os dias quentes.

Coloque pedaços de frutas tropicais juntamente com suco de laranja ( ou suco de limão ) em uma forma de picolé e leve para congelar.

Delicioso, refrescante e saudável!

*_*

26 de out de 2012

MOLHO CREMOSO DE CASTANHAS ( VEGANA )

Os ingredientes não são comuns da nossa despensa, mas você pode encontrá-los em casas de produtos naturais e até mesmo em alguns supermercados. Eles duram vários meses, por tanto você pode comprar para utilizar diversas vezes na elaboração dos seus molhos.
Nesta receita são 12 castanhas, mas se você quiser um molho mais cremoso pode adicionar mais 4 ou 5 castanhas.
Dependendo do prato, talvez seja necessário coar a polpa da castanha que ficará no molho. Neste caso, você deve bater a castanha, adicionar a água, bater novamente e coar para retirar a polpa. Depois você segue a receita normalmente.

Para preparar esta receita sem glúten, retire a levedura de cerveja e substitua por mais uma colher de sopa de tahine.

Ótimo para macarrão e legumes gratinados ao forno.


INGREDIENTES :
  • 12 castanhas do pará
  • 1 1/2 xícara de água quente (não fervendo)
  • 2 colheres de sopa de suco de limão
  • 3 colheres de chá de levedo de cerveja
  • 2 colheres de sopa de tahine
  • 2 colheres de chá de cebola em flocos (desidratada)
  • 2 colheres de sopa de amido de milho
  • sal a gosto

PREPARO :


1. Bata as castanhas no liquidificador por uns segundos até formar uma farofa
2. Coloque a água e os demais ingredientes no liquidificador e bata até a mistura ficar homogênea.
3. Leve a mistura ao fogo baixo mexendo sempre até engrossar.
4. Adicione a mistura ao seu prato favorito.

Agora é usar a sua inspiração e criar os seus pratos!


DOUTORA SONIA T. FELIPE FALA SOBRE ANIMAIS EM ZOOS


EM ENTREVISTA AO PORTAL TERRA, A DOUTORA SONIA T. FELIPE FALA SOBRE ANIMAIS EM ZOOS

Sônia T. Felipe é uma doutora em filosofia moral e teoria política pela Universidade de Konstanz, Alemanha, professora da graduação e pós-graduação em filosofia, e do doutorado interdisciplinar em ciências humanas da UFSC, orienta dissertações e teses nas áreas de teorias da justiça, ética animal e ética ambiental.

Pesquisadora permanente do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, Membro do Bioethics Institute da Fundação Luso-americana para o Desenvolvimento, autora de, Ética e experimentação animal: fundamentos abolicionistas, Edufsc, 2007, e, Por uma questão de princípios, Boiteux, 2003, e Galactolatria: mau deleite, Ecoânima, 2012.

Leia abaixo um trecho da entrevista dada ao Portal Terra:



Até que ponto os zoos realmente ajudam os animais?
Sônia T. Felipe – Os zoos são centros de confinamento completo de animais. Só por essa sua característica podemos ver que não ajudam em nada os animais ali confinados. Não há animal que possa estar bem a seu próprio modo enclausurado num espaço artificialmente construído por humanos para detê-lo lá.

Eles realmente auxiliam na reprodução e preservação de espécies raras?
Sônia T. Felipe – O que os zoos fazem é procurar a reprodução biológica de espécies ameaçadas de extinção. Mas, quando falamos em preservar espécies não pensamos que uma espécie seja constituída apenas por sua bagagem genética. Cada espécie animal precisa de um espírito específico, que permita a preservação daquele tipo de vida de forma autônoma. Isso os zoos não podem fazer. No máximo, o que eles preservam, é o banco genético.

Ao serem mantidos no cativeiro por tempo muito longo, refiro-me aos indivíduos da primeira geração posta em confinamento, os animais apagam pouco a pouco a memória que constituía seu "espírito" específico. Se duas ou três gerações são mantidas nesse cativeiro, não resta conhecimento algum que permita aos jovens nascidos em confinamento saber interagir no espaço natural e social que seria próprio de sua espécie de vida.

Guardamos, assim, o patrimônio genético, que é matéria biológica. Matamos o patrimônio genuinamente "animal" dessas espécies. Temos apenas "organismos" destituídos de "mente" específica. Por esse motivo, reproduzir animais em zoos não garante que sua espécie de vida seja preservada. Insisto: manter um corpo funcionando não é tudo quando se trata da riqueza espiritual que cada espécie viva representa.

Quais são as consequências para o animal aprisionado em um ambiente que não se assemelha ao seu habitat natural?

Sônia T. Felipe - Se for mantido para o resto de sua vida nesse cativeiro, perderá sua alma. Se for solto depois de algum tempo num ambiente estranho, terá de refazer seu aprendizado para poder sobreviver. Se seus descendentes não tiverem a oportunidade de aprender com ele/ela a sobreviver com os recursos naturais e sociais próprios de sua espécie, de nada adiantará ter preservado apenas sua bagagem genética.

Ao contrário do que costuma ser afirmado ainda por muita gente, a mente dos animais, analogamente à nossa, se constitui na liberdade física que o animal exerce de mover-se para autoprover-se num ambiente onde os limites desse movimento não são impostos seguindo um padrão que interessa aos propósitos humanos. A inteligência dos animais confinados se esvai assim que eles não podem mais usá-la para se autoproverem e proverem os seus.


O debate sobre a questão ética envolvendo zoos está crescendo no Brasil?
Sônia T. Felipe - Acho sinceramente que sequer começou a ser feito com rigor. Os zoos são uma invenção dos invasores, especialmente os europeus, que sequestravam os animais das regiões onde impunham seu domínio tirânico para expô-los ao olhar dos curiosos nos grandes centros urbanos europeus. Hoje, esse costume está completamente superado, tanto do ponto de vista científico quanto ético. Nada aprendemos sobre a natureza de um animal quando o vemos por detrás de grades de ferro, isolado, infeliz e distante do ambiente que seria próprio ao seu caráter.

Com o avanço tecnológico e com o aprimoramento ético dos cientistas que estudam os animais, já não faz sentido algum tirar o animal de seu ambiente, colocá-lo em uma jaula e ficar observando seus gestos e atos. Nada disso faz sentido quando queremos saber algo da mente de um animal. Os melhores estudos animais são feitos in loco. Os maiores etólogos convivem por duas ou três décadas com os animais no ambiente natural e social deles, não nos ambientes humanos. Tudo o que se escreveu até hoje sobre os animais, com observação deles em jaulas, gaiolas e cercados não diz nada do que se passa na mente deles, diz-nos apenas o que se passa na mente bronca dos humanos que assim procedem.

Leia a entrevista na íntegra aqui  :  Terra

Fonte : Terra

15 de out de 2012

PATÊ DE FEIJÃO BRANCO ( VEGANA )

Receita do livro "Cozinhando sem crueldade".

Ingredientes:

- 1 xícara de feijão branco cozido
- 1 colher de sopa de azeite de oliva
- 2 colheres de sopa de suco de limão
- 1 dente de alho moído
- sal e pimenta a gosto
- temperos a gosto: ramos de salsa fresca, cebolinha picada, manjericão, dill e tomilho (use o que estiver à mão; eu usei orégano)

No copo do liquidificador, junte todos os ingredientes e bata até homogeneizar. Se ficar grosso demais, adicione mais azeite à mistura. Guarde em potes fechados na geladeira. É aconselhável fazer este patê com antecedência para que os sabores se desenvolvam.


10 de out de 2012

ATIVISTAS SEGURAM CADÁVERES DE ANIMAIS MORTOS EM PROTESTO CONTRA A CRUELDADE COM OS ANIMAIS NA AUSTRÁLIA



Ativistas se emocionaram durante o ato polêmico em Melbourne, Austrália.
Organização ALV mostrou cadáveres de porcos, ovelhas e até cangurus.

Um grupo de 100 membros da organização Liberação Animal Victoria (ALV, na sigla em inglês), realizou nesta quarta-feira (10) um polêmico protesto em Melbourne, na Austrália. Os ativistas fizeram um memorial solene segurando 100 animais mortos, entre ovelhas, porcos, cangurus, galinhas e peixes.

O propósito do ato era chamar a atenção para o sofrimento dos animais na sociedade em que vivemos. Muitos dos animais foram encontrados por uma equipe da organização já mortos ou à beira da morte, abandonados em fazendas de criação para abate ou atropelados em vias da região.
 








Fonte : G1


COUVE-FLOR CROCANTE

Ingredientes

1 couve-flor
1 colher (sopa) cominho em grão
2 colheres (sopa) vinagre
200 g de farinha de trigo branca
100 g de farinha de fubá
Óleo para fritar
Sal a gosto

Preparo

Corte a couve-flor em buquês.
Cozinhe com sal, escorra e tempere com vinagre e o cominho.
Misture a farinha e o fubá com água (para dar o ponto) o sal irá formar um creme.
Passe a couve-flor no creme e frite em óleo quente

Rende 5 porções.

Fonte : Indika Bem

9 de out de 2012

I CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE MÉTODOS ALTERNATIVOS AO USO DE ANIMAIS NO ENSINO, PESQUISA E INDÚSTRIA



I CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE MÉTODOS ALTERNATIVOS AO USO DE ANIMAIS NO ENSINO, PESQUISA E INDÚSTRIA

25 a 29 de Novembro de 2012
Quality Hotel Niterói - Camboinhas
 
NITERÓI - RJ - BRASIL


8 de out de 2012

MÉTODO PORTUGUÊS PERMITE ACABAR COM TESTES EM ANIMAIS

                                Foto: Reprodução

Um teste pioneiro desenvolvido por uma equipe de investigadores do Centro de Neurociências (CNC) e da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (UC) para detetar a potencial reação alérgica da pele aos químicos permitirá reduzir significativamente os ensaios feitos em animais na indústria da cosmética.
Este teste inovador “in vitro”, denominado Sensitiser Predictor, consegue avaliar a sensibilização cutânea e baseia-se na utilização de células de pele imortalizadas – a chamada linha celular – para apurar, por meio da análise de diversos parâmetros, o potencial alergénico cutâneo de químicos antes da sua introdução no mercado, substituindo, deste modo, os respectivos testes em animais.

O método português resulta de sucessivos estudos realizados ao longo dos últimos seis anos pelos investigadores Bruno Neves, Teresa Cruz Rosete e Susana Rosa, tendo sido já distinguido com vários prémios nacionais e internacionais.

Além de “dar resposta à imposição legislativa da União Europeia no sentido de abolir a utilização de animais em testes de produtos da indústria de cosmética, é um método muito mais rápido do que os atuais que recorrem aos ensaios em ratinhos, mais económico e passível de ser usado em grande escala”, explica Teresa Cruz Rosete em comunicado enviado ao Boas Notícias.

Patente internacional em fase de validação

Embora a União Europeia venha pressionando, cada vez mais, a indústria da cosmética para pôr fim aos ensaios em animais, testes alternativos para diversos itens de toxicidade ainda não são utilizados, nomeadamente a sensibilização cutânea.
Por isso, defende Teresa Cruz Rosete, o Sensitiser Predictor poderá marcar “a mudança de paradigma na avaliação da toxicidade de compostos”. “A comunidade científica internacional está precisamente apostando no desenvolvimento de métodos simples e rápidos para substituir os testes em animais”, conclui.
O projeto, também financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) tem, atualmente, uma patente internacional em fase de avaliação, faltando-lhe ainda também a “validação do European Centre for Validation of Alternative Methods – ECVAM, para que possa ser considerado teste de referência ao nível da OCDE”, desvenda a investigadora do grupo de Imunologia Celular e Oncobiologia do CNC e docente da Faculdade de Farmácia da UC.

O grupo de investigadores da UC e do CNC, o único em Portugal a trabalhar, neste momento, no desenvolvimento de testes para a avaliação da sensibilização cutânea, cujo processo de avaliação de toxicidade é muito complexo, pretende agora alargar o teste a outras áreas, nomeadamente a alergias respiratórias.

Fonte: Boas Notícias


Saiba mais sobre testes em animais : Testes em Animais


6 de out de 2012

PALAVRAS DE UMA MÃE VEGETARIANA


 Alimentação Infantil e Vegetarianismo

"Sinto-me muito feliz e honrada em poder compartilhar com vocês um pouco da minha experiência como mãe vegetariana.
Tenho um filho de 4 anos que é vegetariano desde a concepção e posso garantir que é perfeitamente possível e muito saudável criar uma criança dentro do vegetarianismo.
Toda criança nasce vegetariana!
Como mamíferos que somos,quando um bebê nasce o único alimento de que ele necessita é do leite de sua mãe.
O leite materno é o alimento mais completo e perfeito para nossos bebês, e a amamentação deve ser estimulada assim que a criança nasce.
Até os seis meses de vida, ela só vai precisar do leite de sua mãe e nada mais. Após este período vamos introduzindo os alimentos sólidos: primeiro a papa de frutas amassadas e sucos, depois tubérculos e legumes amassadinhos (mandioquinha, cenoura, batata).
Com o tempo vamos acrescentar os cereais (arroz bem cozidinho, aveia, etc..) e os grãos ( feijão, ervilha, lentilha, etc).
Sem esquecer que a amamentação é indicada até os dois anos de vida ou mais.

Esta é a sequência indicada pelos pediatras para todas as crianças onívoras ou vegetarianas. E é neste momento que os onívoros acrescentam ao cardápio da criança a carne.
Por que será que a carne é a última coisa a ser oferecida à criança?
Se fôssemos carnívoros, não seria natural após a amamentação a criança começar a se alimentar da carne de outros seres vivos?
E por que será que a grande maioria das crianças rejeitam a carne?
Os médicos dizem para os pais que é assim mesmo, e que devem insistir até que a criança aceite… É aí que se forma o hábito, mas isto não quer dizer que seja correto.

Muitos pais ficam em um dilema muito grande pois os médicos e a mídia nos fizeram crer que a carne é essencial para o desenvolvimento das nossas crianças.
E isso é uma grande mentira!
Ninguém precisa se alimentar de animais para crescer e viver bem…
Pelo contrário, uma alimentação vegetariana balanceada desde a infância vai criar adultos saudáveis com muito menos probabilidade de virem a sofrer de ataques cardíacos, derrames, pressão alta, etc…

Infelizmente nos dias de hoje as crianças já estão sofrendo as consequências de uma alimentação equivocada, rica em gordura de origem animal : colesterol alto, obesidade, pressão alta não são mais “privilégio” dos adultos, lamentavelmente.
Nossos filhos são a nossa maior riqueza!
Cuide bem da alimentação deles, porém não se esqueça que as crianças aprendem através do exemplo: Não adianta forçar seu filho a comer brócolis se você não chega nem perto desta verdura.

Aproveite para começar a incluir novos sabores na sua alimentação também!
Sua saúde e a de seu filho agradecem!"

Andrea Reis


Fonte :  Revolução da Colher



4 de out de 2012

A COZINHA DO FUTURO TEM HORTA


A Cozinha do Futuro tem Horta

Hyundai Kitchen Nano Garden - uma geladeira desenhada para cultivar comida, ao invés de servir apenas para guardá-la

"Uma nova pesquisa feita pela empresa Ikea sobre o que os consumidores esperam de sua 'cozinha dos sonhos' daqui a 30 anos indicam um desejo forte de "retorno à natureza". Segundo a pesquisa, a cozinha continuará sendo o eixo central no qual se reúne
a família. Mas as donas de casa no Reino Unido e na Irlanda dizem também que querem uma cozinha eficiente energeticamente, e com um espaço verde - que pode se fundir ao jardim da casa - permitindo o cultivo de espécies comestíveis dentro e fora da residência. Os consumidores também dizem que querem material reciclado e reutililzado como padrão em seus produtos de cozinha.


Um levantamento, realizado em junho (2010), no Reino Unido e na República da Irlanda, prevê uma movimento gradual e sustentável rumo ao consumo consciente.


Os consumidores disseram que querem uma cozinha que estimule a produção caseira de orgânicos, de comida natural, e que promova o movimento "cultive você mesmo" em residências e comunidades.


Jardins e pequenos terrenos irão se tornar uma extensão da cozinha, e isso deve ser um padrão nos próximos anos, diz o relatório. Conceitos como o da Hyundai Kitchen Nano Garden - uma geladeira desenhada para cultivar comida, ao invés de servir apenas para guardá-la - serão comuns. Com o uso de produtos hidropômicos e suprimentos controlados de água e nutrientes, cultivar sua própria comida será mais usual nas casas na medida em que a pressão por espaço significar que poucas pessoas poderão se dar o luxo de ter um quintal.


Jardins suspensos também não se restringirão mais aos telhados verdes, mas crescerão verticalmente ao longo das paredes.


A alimentação saudável será um item importante para os consumidores, dizem os autores do relatório. "A escassez está na agenda do consumidor e isso transparece nos sonhos com a cozinha do futuro. Escassez de água e de terras, mudanças climáticas e urbanização farão com que os estilos de vida pautados pelo excesso deixem de existir, sendo substituídos por uma visão coletiva sobre a vida e seus meios", finaliza o documento. 





Fonte: The Guardian

Saiba mais sobre o
Hyundai Kitchen Nano Garden aqui :
http://www.lovesfoodandart.com/hyundai-kitchen-nano-garden-hydroponic-brilliance/



2 de out de 2012

JAMES CAMERON SE TORNA VEGANO


James Cameron, premiado cineasta, produtor, roteirista e editor canadense, conhecido por sucessos como Titanic, O Exterminador do Futuro, e Avatar, o eco filme que deixou o mundo inteiro falando sobre como usamos e abusamos do nosso planeta, é um forte defensor do meio ambiente.

Agora, aos 58 anos, ele se tornou vegano para ajudar o planeta, as pessoas e os animais e r
ecrutou toda a sua família para fazer o mesmo.

Embora fiquemos animados com as celebridades que decidem adotar a dieta vegana por uma questão de saúde, é maravilhoso quando surge alguém como Cameron , que tomou a decisão de desistir de produtos de origem animal por razões puramente éticas.

De acordo com um recente relatório das Nações Unidas, a criação de gado para a alimentação usa 30% da massa terrestre do planeta. É preciso mais do que 2400 litros de água para produzir um quilo de carne, contra 25 litros para o crescimento de um quilo de trigo.

"Comer animais não é uma necessidade, nós apenas escolhemos fazer isto. Então isto se torna uma escolha moral, pois isto está gerando um grande impacto sobre o planeta." , disse James Cameron.


Tradução: Dani Vasques
Fonte : Vegetarian Star

Vegamet ( Vegetarianos e Veganos - Amor e Ética)