12 de ago de 2013

COFUNDADOR DO GOOGLE FINANCIA DESENVOLVIMENTO DE CARNE EM LABORATÓRIO


Ao que parece, Sergey Brin não está somente preocupado com o iminente lançamento da sua mais recente menina dos olhos, o Google Glass.

O bilionário cofundador da Google também dá um pouco da sua atenção a diversas outras questões, como o desenvolvimento da chamada carne artificial.

Ontem você pôde conferir o lançamento do primeiro hambúrguer feito em laboratório – e que custou aproximadamente 750 mil reais para ser produzido.
Pois saiba que segundo o The Guardian, Brin é um dos investidores por trás desse projeto.

Lutando por direitos

De acordo com ele, a ideia dessa apresentação era mostrar um pouco do conceito que os cientistas estão criando em laboratório. A partir dos testes, Sergey Brin também citou estar bem otimista com relação ao desenvolvimento do projeto e que, em breve, a ideia pode começar a evoluir em passos largos.

Segundo o homem por trás do Google Glass, a carne artificial pode ajudar na resolução de diversos problemas diferentes. Uma das ideias é conseguir combater a fome em países mais pobres – e que encontram várias dificuldades na hora de resolver esse problema.

Brin também cita que a carne artificial poderia mudar a maneira como alguns animais são tratados pelos criadores em todo o planeta. “As pessoas tem uma imagem errada de como a carne é produzida, achando que os bichos são criados em grupos pequenos e em pequenas fazendas. Quando você vê como essas vacas são tratadas... Isso certamente é algo que não me deixa confortável”, disse ele.

Helen Breewood, uma das pesquisadoras da equipe de Mark, disse que, apesar de ser vegetariana, está neste projeto de criação de carne em laboratório e está otimista quanto aos resultados para o fim da crueldade contra os animais: “Muita gente considera carne feita em laboratório repulsiva num primeiro momento. Mas se eles soubessem o que acontece nos abatedouros para a produção de carne normal, também achariam repulsivo.”, disse.
Helen completou dizendo que se comesse carne, preferiria a de laboratório.

Por meio de nota, a PETA (ONG norte-americana que trabalha na divulgação do veganismo), disse: “[Carne de laboratório] irá favorecer o fim de caminhões cheios de vacas, frango, abatedouros e fazendas de produção. Irá reduzir a emissão de gases de carbono, economizar água e fazer a rede de suprimento de alimentos mais segura.”




Fontes: 
Tecmundo

Vista-se


Um comentário: